sexta-feira, 19 de março de 2010

Medo

"I am afraid right now (...) This is me afraid"

Medo, um sentimento desagradável e invasor. Um toque no nosso ponto mais fraco.
Podemos sentir medo de muitas coisas diferentes. Cada pessoa tem o seu.
Eu tenho medo de aranhas, do sobrenatural, de falhar na vida e, o maior de todos, da morte.
Medo da morte.
Não é o medo de morrer, é o medo que a morte me leve quem mais amo.
Se um dia abrisses os olhos e descobrisse que o coração de quem mais amo já não batia, não sei o que seria de mim.
A minha família, os meus amigos, o meu ursinho.
Apesar de não querer, penso muitas vezes nisso.
E a única coisa que vislumbro, caso algo acontecesse, é...nada.
E penso "será que quando algo acontecer eu não me vou conseguir aguentar, que a minha vida acaba?".
Não consigo obter resposta.
E o medo cresce.
Aperta o meu coração de uma forma aterrorizante.
Há quem diga que devemos viver cada dia como se fosse o último e aproveita-lo da melhor maneira, com quem mais amamos.
Mas será isso possível de realizar todos os dias?
Gostava que assim fosse.
Todos os dias há tantas palavras que ficam por dizer, há tantos gestos que ficam esquecidos.
E se amanhã já não tiver a oportunidade de os transmitir?
Nunca iremos saber o que irá acontecer no momento seguinte, por isso, apenas nos deixamos ir levados por ele sem saber o que nos espera.
Continuo com medo.
Mas não consigo dizer e fazer tudo o que gostava.
E algumas coisas apenas precisam de ser ditas no silêncio.
O passado está garantido, o presente a ser vivido e o futuro à espera de nos surpreender.

Um beijo corajoso,

H.N.

6 comentários :

  1. O medo é um sentimento que que acompanha durantee toda a vida. A morte, essa é tão certa, como o nascimento, não há que ter medo dela, mas sim, saber encara-la

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Os teus textos fazem-nos pensar e reflectir na vida que levamos... e como dizes fica tanta coisa por dizer, tantos gestos e nunca sabemos quando vai ser o dia em que acordamos e as pessoas que amamos já não estão lá!

    Infelizmente é um medo que temos de saber viver com ele :S

    Parabéns pelo texto!

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Percebo perfeitamente o que pensas. Eu penso igual e nesse aspecto somos muito semelhantes. Não penso sempre nisso, mas de longe a longe esse pensamento retorna sempre à minha mente. Fico com muito medo disso e imagino como me sentiria. Até já chorei. De qualquer forma, tenho noção que não devo sofrer por antecipação. É uma coisa que toda a gente sabe que pode acontecer e mais vale tentar deixar isso de lado sempre que se consiga porque se tivermos se sofrer, que seja no momento do sofrimento e não antes de este acontecer. Não nos leva a nada. Gostei do texto. :]

    ResponderEliminar