sábado, 16 de dezembro de 2017

Penso em ti

"Cada día pienso en ti, pienso un poco más en ti."

Penso em ti.
Penso muito em ti.
Na verdade, penso em ti durante todo o dia.
É sinal de que gosto muito de ti.
E olha que eu também gosto muito de chocolate!
E não penso em chocolate durante todo o dia!
Mas em ti, penso.

sábado, 25 de novembro de 2017

Que saudades tenho

"She said maybe I miss your lovin', maybe I miss your kiss just a little bit, maybe I miss your body lyin' right next to mine, maybe I miss your touch a little too much."

Que saudades tenho
Dos teus beijos salgados
Descendo lânguidos pelo meu peito
Deixando os meus seios molhados.

sábado, 18 de novembro de 2017

Ouve

"Listen to the song here in my heart"      
          
Ouve…
Ouve a chuva,
Ouve o vento,
Ouve os animais,
Ouve o rio,

sábado, 11 de novembro de 2017

Tortura

Parte I - DOR

2 Horas da manhã.
Desligas a televisão a meio de um filme de cores desbotadas.
O cansaço de uma semana inteira de trabalho faz-se sentir no sono que pesa nos teus olhos.
Diriges-te para o quarto em direção a mais uma noite solitária.
Deitas-te na tua cama de lençóis gelados pela falta de calor humano. Muitas noites a dormir no sofá, muitas noites a dormir sozinho.
Adormeces com um último pensamento “sozinho…será que alguém se lembra que existo?”
Quando já tiveres caído num sono profundo, vou entrar em tua casa.
Primeiro, silenciosamente. Depois…ruídos.
Despertas subitamente.
Silêncio.

sábado, 4 de novembro de 2017

Correr

"We will run from nothing, my love"

Correr rápido;
Tão rápido
Que, por muito que corram,
Nunca me irão apanhar.
Correr para longe;
Tão longe
Que, por muito longe que vão,
Nunca será suficiente.
Correr sozinha;
Tão só
Que, por muito que olhem,
Nunca verão mais ninguém.
Correr feliz;
Tão feliz
Que, por muito que tentem,
Nunca me vão magoar.
Correr triste;
Tão triste
Que, por muito que me doa,
Nunca irá acabar.
Correr livre;
Tão livre
Que, por muito que tentem,
Nunca me irão prender.
Correr com lágrimas;
Tão chorosas
Que, por muito que as sequem,
Nunca irão parar de cair.
Correr leve;
Tão leve
Que, por muitos pesos que tenha,
Nunca me conseguirão parar.
Correr rumo ao desconhecido;
Tão incerto
Que, por muito que me avisem,
Não me irão demover.
Correr por amor;
Tão apaixonada
Que, por muito que tentem,
Não te irão tirar do meu coração.
Correr por correr;
Tão bom
Que, por muito que me mandem parar,
Nunca pararei de correr.
Correr...

Simplesmente correr.

mulher a fugir

sábado, 28 de outubro de 2017

Sorrisos


"You make me smile even the times I'm trying to be serious."

De uma criança,

De um adulto,

De um idoso,

De alegria,

De esperança,

De amor,

sábado, 21 de outubro de 2017

Morrer

"Do you really want me dead or alive to torture for my sins?"

Bom é viver.
De morrer já estou farta.
Morrer de tédio, esta sombra que nos agarra e nos deixa apáticos como se nada fosse suficientemente bom para nos esforçarmos.
Morrer de dores, sejam elas psicológicas ou físicas, grandes ou pequenas, nossas ou dos outros, reais ou imaginárias, dolorosas ou só um choro por atenção.
Morrer de desilusão, quantas vezes provocada pelos outros sem se preocuparem mas quantas vezes não será essa desilusão auto infligida?
Morrer de cansaço, sentir que as forças nos abandonam e que já não dá para continuar por estarmos extenuados desta vida.

sábado, 14 de outubro de 2017

Fuga


"I know we'll make it anywhere away from here. And we'll run for our lives."

Saio a correr pelo enorme portão verde aberto à espera que por ele entrem e não que saiam.
Muito menos eu. Ainda menos a correr.
Seguro de lado o vestido, mais para não cair do que para não o sujar.
Ouço as vozes dentro de casa chamarem-me, os cães ladrarem em alvoroço e o som de portas a baterem.
Já do lado de fora encosto-me ao muro de pedra cinzenta que as heras tingem de um verde vivo.
Preciso de me afastar dali rapidamente.
Sempre junto ao muro, sigo em direção ao campo.
É arriscado, alguém pode ver-me ou ouvir o barulho mas prefiro arriscar.
Chego lá e vejo três belos cavalos. Dois castanhos e um preto, calmos, de crinas a balançarem ao sabor da leve brisa.
Ainda junto ao moro tento atrair a sua atenção, chamando-os.
Sou ignorada. As vozes continuam a chamar-me e sinto que irei ser apanhada.

sábado, 7 de outubro de 2017

Coincidências

"Every step you take, every move you make, I'll be watching you."

Lembro-me da primeira vez que o vi.
Sentado na esplanada, ao sol da manhã, a beber um café enquanto mexia no telemóvel.
Cabelo penteado com um pouco de gel, olha sereno, lábios definidos, a barba por aparar.
O blusão preto assentava-lhe perfeitamente nos ombros, a camisa vermelha conferia um ar sensual ao visual combinando com as calças de ganga escuras.
Atraiu a minha atenção. Mas eu não atraí a sua.
Segui o meu caminho, com a sua imagem nos meus pensamentos.
Um homem entre tantos outros mas que prendeu o meu interesse.

sábado, 30 de setembro de 2017

Poesia no teu corpo

"These are not the parts and poems of the Body only, but of the Soul."

Quero ser poesia no teu corpo. 
Quero ser o som que nasce na tua garganta, 
Que se torna sílaba na tua língua 
E que a tua boca transforma em palavra. 
Quero ser o verso solitário 
Que no teu peito procura conforto 
E se intensifica numa frase que ecoa na alma. 

sábado, 23 de setembro de 2017

O jantar está pronto


🚫MAIORES DE 18🚫


"Telling you all the things I'm gonna do to you when you get home babe. 

Makin love then yelling."

Olho para o relógio.
19h40min. E eu aqui, preso neste trânsito infernal. Já devia estar a chegar a casa, pronto para ser recebido com os teus deliciosos beijos.
O carro à frente buzina.
O locutor da rádio anuncia a próxima música.
Estou aqui parado há 20 minutos. E já estou farto.
O telemóvel dá sinal de mensagem.
"Onde estás?" perguntas.
Tiro uma foto à fila de carros à minha frente. 
"Não sei a que horas chego". E envio.
Volta a tocar.
Recebo uma foto tua vestida com um avental vermelho junto ao fogão.
"Que pena...estou a preparar o jantar".
"Espero chegar a tempo".

sábado, 16 de setembro de 2017

Meu amor


🚫 MAIORES DE 18 🚫

"Don't go love, stay all night, now you're mine."

Chegas a casa depois de mais um dia exaustivo.
O trabalho prolongou-se e só queres uma noite descansada.
Mas, meu amor, não é isso que vais ter.
As luzes de casa estão apagadas e o silêncio impera.
Pensas que estou a dormir e tens cuidado para não fazer barulho.
Oiço os teus passos pelo corredor.
Entras silencioso e fechas a porta.
O quarto está mergulhado na escuridão.
Prepara-te, meu amor.

sábado, 9 de setembro de 2017


"Somewhere only we know..."

Com os seus olhos me fascinou
Com o seu sorriso me encantou
No mistério se envolvia
Quando me sorria era pura magia
Dávamos as mãos
E ouvíamos o coração
No silêncio de um olhar
Voávamos p'ra um lugar só nosso

sábado, 2 de setembro de 2017

Adoro quando ele chega

🚫 MAIORES DE 18 🚫

"The bathroom's fogging up with our heartbeats. Sweat for me. I want your nails scrapping down the back of my neck"

Adoro quando ele chega. 
Entra e logo me procura, prendendo-me nos seus braços, colando os seus lábios aos meus. 
As suas mãos deslizam pelas minhas costas e enquanto uma me ergue a perna, a outra aperta as minhas nádegas. 
A barba áspera, aparada na perfeição, arrepia-me a pele e o seu perfume masculino inebria-me os sentidos. 
Solto-me dos seus braços, pego-lhe na ponta da gravata azul e, com um sorriso maroto nos lábios, encaminho-o até à casa de banho. 
Empurro-o, obrigando-o a sentar-se num banco que se encontra num canto da divisão. 
Tiro-lhe o telemóvel do bolso e, rapidamente, procuro a playlist ideal. 
Os primeiros acordes soam e eu afasto-me dele, balançando o meu corpo num movimento sensual. Rodopio, ergo os braços em direção ao teto, desço até ao chão e volto a subir, num movimento fluido. 
Os seus olhos estavam fixos no meu corpo que se movia como uma serpente encantada. 
Debrucei-me sobre o lavatório, empinei o rabo, deslizei uma das mãos até às nádegas e fui levantando o fino tecido do vestido vermelho que cobria o meu corpo. 
Através do espelho pude ver o desejo surgir na sua cara ao ver que eu não tinha qualquer roupa interior vestida. 
Ergui-me e dirigi-me a ele. Sentei-me no seu colo e senti por baixo das suas calças o quanto ele me queria.

sábado, 26 de agosto de 2017

Última palavra

"Put my feet in the sand when I'm walking in the sun."

Sentou-se junto dela e ficou em silêncio, a olhar as ondas que se desfaziam em espuma na areia branca.
Ela também ficou em silêncio.
Ele desviou-lhe da cara os cabelos dourados.
Ela chorava em silêncio.
E o coração dele também começou a chorar.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Bilhete Dourado

"Those people keep a-movin’, and that’s what tortures me.”


“Vai dar entrada na linha número um, o comboio Intercidades com destino a Porto-Campanhã”.
Desligou o microfone após anunciar o comboio. Mais um dos muitos que anunciava diariamente.
Limpou o suor da cabeça calva. O dia estava quente e a única aragem fresca era provocada pelos comboios sem paragem que passavam a toda a velocidade.
Costumava ficar a olhar para eles até desaparecerem na curva da linha férrea. Secretamente desejava que o levassem.
“Pára! Deixa-me embarcar! Deixa-me partir contigo e abandonar esta vida monótona!”
As campainhas já tocavam anunciando que o comboio se aproximava. Pegou na bandeira vermelha e dirigiu-se à plataforma.

sábado, 12 de agosto de 2017

Perto ou longe?

"Been far away for far too long"

Tão perto e tão longe
À distância de um toque,
De um sorriso,
De um olhar,
De uma palavra,
De uns metros,
De um telefonema,
De uma cidade,
De um oceano,
De uma estrela,
À distância de um mundo.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Pequenos gestos

"I'm in love with you and all these little things"

Aparece.
Quero ver o teu ser.
Olha.
Quero perder-me no teu olhar.
Sorri.
Quero sonhar com os teus lábios.

sábado, 5 de agosto de 2017

Nunca


"Love me like you'll never see me again"

Mostra-me o que nunca vi.
Olha-me como nunca me olhaste.
Escreve-me a carta que nunca li.
Beija-me como nunca me beijaste.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Cala-te!


"Put up or shut up, we're not wasting time again"


Cala-te!
Cala-te e beija-me!
Deixa-me saborear-te,
Perder-me nesses lábios,
Sentir o teu gosto agridoce.

sábado, 29 de julho de 2017

Escrita


"I'll give you the world, just give me the words."

Pego na caneta 
Faço dela o meu pincel 
Pinto palavras nuas 
Numa folha de papel. 

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Que queres que te diga?


"What can I say? What can I do?"

Que queres que te diga
Se o que queres saber
É o que te quero dizer
E o que vou dizer
É o que não queres saber?

sábado, 22 de julho de 2017

És e não és


"You're amazing just the way you are."

És poesia, és palavra,
És tudo e não és nada.
És brisa, és mar,
És sorrir e não chorar.
És quente, és frio,
És mundo e não vazio.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Beija-me



"Kiss me hard before you go"

Beija-me
Como se o amanhã
Não fosse chegar
E hoje fosse o derradeiro dia
Para me amar.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Fogo


"I'm on fire."

Queima…
Deixa arder esse fogo.
O fogo que guardas dentro de ti.
E que te queima.
Alimentado pelo desejo que te inflama o corpo.
Ateado no âmago da tua alma.
Liberta-o.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Instantes

"In these stolen moments the world is mine."

Somos instantes que duram segundos.
Momentos perdidos no tempo.
Quem fomos já não é quem somos.
E quem somos já não é quem seremos.
E somos instantes que duram uma vida.
Momentos que perduram no tempo.
Quem fomos tornou-nos no que somos.
E quem somos irá tornar-nos no que seremos.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Próxima paragem

"Hello you are looking so fine, fantasy about you's like a goldmine."

A ténue luz da lua entra pela janela aberta do quarto.
Os cortinados brancos esvoaçam ao sabor da brisa que entra.
O som dos grilos quebra o silêncio noturno.
Tudo está calmo e propício a uma noite descansada.
Próxima paragem: sonhos.
Ou pelo menos, assim pensava.
A quietude da noite desvaneceu-se assim que o meu olhar encontrou o teu.
Os teus olhos reluzem no escuro do quarto e prendem os meus sentidos.
Começas a atravessar o quarto na minha direção como um tigre prestes a caçar a sua presa.
Eu continuo hipnotizada pelo teu olhar penetrante que me impede de mover ou sequer pensar.
A tua mão quente toca na minha face gelada e desliza pelo queixo, pescoço, até ao ombro onde se detém.
Brincas com a alça do meu vestido e um sorriso malicioso surge no teu rosto.
Os teus lábios aproximam-se da minha orelha e sinto a tua respiração quente e controlada contra a minha pele.
Uma mordida na minha orelha e fecho os olhos.
Fui caçada.