sábado, 30 de setembro de 2017

Poesia no teu corpo

"These are not the parts and poems of the Body only, but of the Soul."

Quero ser poesia no teu corpo. 
Quero ser o som que nasce na tua garganta, 
Que se torna sílaba na tua língua 
E que a tua boca transforma em palavra. 
Quero ser o verso solitário 
Que no teu peito procura conforto 
E se intensifica numa frase que ecoa na alma. 

sábado, 23 de setembro de 2017

O jantar está pronto


🚫MAIORES DE 18🚫


"Telling you all the things I'm gonna do to you when you get home babe. 

Makin love then yelling."

Olho para o relógio.
19h40min. E eu aqui, preso neste trânsito infernal. Já devia estar a chegar a casa, pronto para ser recebido com os teus deliciosos beijos.
O carro à frente buzina.
O locutor da rádio anuncia a próxima música.
Estou aqui parado há 20 minutos. E já estou farto.
O telemóvel dá sinal de mensagem.
"Onde estás?" perguntas.
Tiro uma foto à fila de carros à minha frente. 
"Não sei a que horas chego". E envio.
Volta a tocar.
Recebo uma foto tua vestida com um avental vermelho junto ao fogão.
"Que pena...estou a preparar o jantar".
"Espero chegar a tempo".

sábado, 16 de setembro de 2017

Meu amor


🚫 MAIORES DE 18 🚫

"Don't go love, stay all night, now you're mine."

Chegas a casa depois de mais um dia exaustivo.
O trabalho prolongou-se e só queres uma noite descansada.
Mas, meu amor, não é isso que vais ter.
As luzes de casa estão apagadas e o silêncio impera.
Pensas que estou a dormir e tens cuidado para não fazer barulho.
Oiço os teus passos pelo corredor.
Entras silencioso e fechas a porta.
O quarto está mergulhado na escuridão.
Prepara-te, meu amor.

sábado, 9 de setembro de 2017


"Somewhere only we know..."

Com os seus olhos me fascinou
Com o seu sorriso me encantou
No mistério se envolvia
Quando me sorria era pura magia
Dávamos as mãos
E ouvíamos o coração
No silêncio de um olhar
Voávamos p'ra um lugar só nosso

sábado, 2 de setembro de 2017

Adoro quando ele chega

🚫 MAIORES DE 18 🚫

"The bathroom's fogging up with our heartbeats. Sweat for me. I want your nails scrapping down the back of my neck"

Adoro quando ele chega. 
Entra e logo me procura, prendendo-me nos seus braços, colando os seus lábios aos meus. 
As suas mãos deslizam pelas minhas costas e enquanto uma me ergue a perna, a outra aperta as minhas nádegas. 
A barba áspera, aparada na perfeição, arrepia-me a pele e o seu perfume masculino inebria-me os sentidos. 
Solto-me dos seus braços, pego-lhe na ponta da gravata azul e, com um sorriso maroto nos lábios, encaminho-o até à casa de banho. 
Empurro-o, obrigando-o a sentar-se num banco que se encontra num canto da divisão. 
Tiro-lhe o telemóvel do bolso e, rapidamente, procuro a playlist ideal. 
Os primeiros acordes soam e eu afasto-me dele, balançando o meu corpo num movimento sensual. Rodopio, ergo os braços em direção ao teto, desço até ao chão e volto a subir, num movimento fluido. 
Os seus olhos estavam fixos no meu corpo que se movia como uma serpente encantada. 
Debrucei-me sobre o lavatório, empinei o rabo, deslizei uma das mãos até às nádegas e fui levantando o fino tecido do vestido vermelho que cobria o meu corpo. 
Através do espelho pude ver o desejo surgir na sua cara ao ver que eu não tinha qualquer roupa interior vestida. 
Ergui-me e dirigi-me a ele. Sentei-me no seu colo e senti por baixo das suas calças o quanto ele me queria.