sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Memórias de um filme

"All of my memories keep you near,in silent moments,imagine you'd be here.
All of my memories keep you near,in silent whispers, silent tears."

Tenho sido assombrada por memórias.
Memórias dos simples dias que passaram mas que sempre tinham algo de especial por mais pequeno que fosse.
Memórias sobre ele.
As viagens no autocarro são as cenas de comédia romântica de um filme para ver numa tarde de Inverno em frente à lareira.
As minhas mãos geladas provocando arrepios nas mãos quentes dele; os sorrisos que trocavamos sem sabermos bem por quê; o silêncio dos olhares que faziam o coração bater desalmadamente; as conversas sem sentido para a cabeça mas com sentido para o coração; os toques suaves e leves que trocávamos; as despedidas que o faziam rir mesmo quando já estava na rua; a forma querida com que conseguia acabar com as piadas dos seus amigos sobre nós; apenas esses simples momentos que para sempre guardo no coração.
As cenas de acção ficavam-se pela escola.
As fotos que lhe tirava discretamente; as vezes que lhe levei a mochila e escondia-me enquanto ele me procurava por todo o lado; aparecer ao lado dele com a camisola dele vestida e ele ver o sorriso surpreso dele; dar-lhe um abraço que o deixava completamente vermelho e ir-me embora como se nada fosse; chatea-lo e provoca-lo com tudo e nada; viver cada dia com algo partilhado com ele.
Mas como em todos os filmes, há sempre o drama.
O último dia de aulas daquele ano passa vezes em conta na minha cabeça.
Não consigo tirar a imagem dele a passar por mim sem sequer olhar para trás; não consigo parar de ouvir as palavras ditas pelo amigo: "destino, é o destino"; não consigo acabar com a sensação de ir a correr com os olhos cheios de lágrimas e ser agarrada e abraçada por quem sempre esteve a meu lado; não consigo evitar sentir um nó na garganta e as lágrimas a cairem-me pela face; não consigo afastar o meu pensamento dele.
São as memórias do dia em que o meu coração se partiu em infinitos pedaços.
O tempo passou mas o vento nada levou.
Os meus sentimentos por ele continuam.
As saudades são uma dor terrível mas que suporto todos os dias.
Guardo a esperança de que um dia voltaremos a estar juntos.
A vida não é fácil e o amor segue-lhe os passos.
São memórias difíceis de apagar e que sempre vou guardar.

H.N.


1 comentário :

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar